Após 38 Anos Bebê Sequestrado é Encontrado!

26/04/2019

Em 11 de fevereiro de 1981 o filho de Sueli Gomes, que tinha apenas 16 anos foi roubado no Hospital Regional do Gama com apenas dois dias de vida e passados 38 anos, graças a um exame de DNA, a moradora de Brasília finalmente descobriu o paradeiro do filho. Hoje já homem feito, ele vive em João Pessoa. Os detalhes sobre a investigação e a situação de mãe e filho foram divulgados pela Polícia Civil do Distrito Federal na manhã última quinta-feira (25/4).
 

Foto: Arquivo pessoal Sueli

 

Após dar a luz, Sueli Gomes da Silva, que vivia em um abrigo desde os 9 anos, foi orientada, por um casal de funcionários que a acompanhava, a ligar de um orelhão para a responsável pelo orfanato. Ela deixou o bebê com a mulher para fazer a ligação e quando voltou, o filho, Luís Miguel, já não estava mais com a com eles. Sueli contou à polícia que, quando perguntou pela criança, recebeu ordem de ficar calada e se esquecer do menino. Por muito tempo ela tentou sem sucesso encontrar o filho Luiz Miguel, mas não obteve pista alguma.
 

Em 2013, após anos de sofrimento, Sueli fez uma carta para polícia contado sua história, denunciando todos os abusos e violências sofridos. O delegado responsável pelo caso, Murilo Freitas, conta que assim que souberam da história, os investigadores entenderam a dificuldade em punir os culpados. "Percebemos que muitos dos crimes apontados não seriam mais alcançáveis pela lei. Principalmente devido à prescrição penal, já que estamos falando de algo acontecido há quase quatro décadas", diz o policial. Posteriormente, foi atestado pelas investigações que os autores do crime já haviam morrido.

 

O inquérito deve ser arquivado, uma vez que o paradeiro de Luís Miguel foi descoberto, após uma longa investigação, que durou seis anos. "Nós, da Polícia Civil, não podemos mudar o passado, mas podemos, com muito empenho e vontade, possibilitar um novo futuro", conclui Freitas.

 

O objetivo principal era unir mãe e filho. Ele conta ainda que o fato da criança ter nascido com uma síndrome chamada Sindactilia, uma leve anomalia congênita nas mãos, foi determinante para que o filho de Sueli fosse localizado.

 

Até que Luiz Miguel fosse encontrado, 15 pessoas foram investigadas, entre a busca por documentos e registros hospitalares até que mãe e filho, finalmente, se encontrassem. Foi uma investigação trabalhosa, mas com final feliz.

 

Já segue nosso Instagram? Segue lá e participe dos nossos sorteios e saiba tudo que acontece em Águas Claras. @aguasclarasmidia

 

Contribua para a melhoria e desenvolvimento de nossa cidade! Participe do Grupo de Águas Claras Mídia de Moradores no WhatsApp – Envie nome, endereço e telefone para: contato@aguasclarasmidia.com.br  

 

 

Sitewww.aguasclarasmidia.com.br
Facebook: www.facebook.com/aguasclarasmidia
Instagram: www.instagram.com/aguasclarasmidia
Twitterwww.twitter.com/aguasclaramidia
Youtube: www.youtube.com/aguasclarasmidia

 

Águas Claras Mídia – Sua Cidade em um Click

 

AguasClarasMidia #AguasClaras #AguasClarasDF

Compartilhe no Facebook
Compartilhe noTwitter
Please reload

Posts Em Destaque