"O Filme da Minha Vida"

29/07/2017

Hoje fui assistir “O Filme da minha vida”, novo trabalho do ator, roteirista e diretor Selton Mello e saí do cinema encanta e convencida de que Mello é um artista talentosíssimo e completo.


O filme é simplesmente maravilhoso, como um livro de poesia em movimento.
Baseado no livro do escritor chileno Antonio Skármeta , que faz uma ponta na cena do bordel, a história gira em torno de Toni Terranova (Johnny Massaro), o jovem professor na pequena cidade de Remanso no Rio Grande do Sul que, ao voltar para casa após estudar na “cidade grande”, descobre que o pai imigrante Nicolas (vivido pelo ator francês Vincent Cassel) foi embora sem maiores explicações deixando sozinha a mãe Sofia (Ondina Clais), o melhor amigo Paco (Selton Mello) e a ele mesmo. 


Toni não entende a decisão do pai de voltar para a França sem motivo aparente e passa a viver seus dias dividido entre o trabalho de professor, o cotidiano com a mãe e a eminência do primeiro amor, e a dúvida ,entre as jovens irmãs Petra (Bia Arantes) e Luna (Bruna Linzmayer) que o provocam de maneira distinta.


Acontece que Toni exala tanta pureza e sinceridade nos seus propósitos que, mesmo com suas questões internas consegue dar leveza à sua vida. O ator Johnny Massaro, que o interpreta, consegue expressar com o olhar doce toda a esperança e certeza de que as coisas vão voltar a andar nos trilhos.


A atmosfera ingênua dos anos sessenta, tempo em que se passa a história, nos remete à uma época deliciosamente nostálgica e mágica.


O filme de Selton Mello, que assina a direção e o roteiro (este com Marcelo Vindicato ) é de uma delicadeza extrema que exala momentos de ternura com saudade. A começar pela própria fotografia, do não menos competente Walter Carvalho, em tons sépia e com alguns momentos de contra luz que resultam em uma vontade danada de congelar a cena para admirar o resultado. A trilha sonora é parte importante e o que me chamou atenção foi o fato da música tocar inteira e sem cortes para que a gente conseguisse aproveitar todo o sentimento e a emoção do momento evocado por ela.


O ator e músico Rolando Boldrin faz uma participação como o maquinista do trem. Um papel não menos importante e que traz uma gostosa sensação de acolhimento ao mesmo tempo que representa a vida toda com suas histórias e lembranças. Aliás Selton Mello, assim como Tarantino, parece gostar de resgatar artistas esquecidos . Em seu segundo trabalho como diretor no filme ‘O Palhaço” ele trouxe à cena um Moacyr Franco agradecido pela oportunidade de voltar a fazer parte.


Vincent Cassel é um ator francês apaixonado pelo Brasil. Não é a primeira vez que passeia pelas telas do cinema brasileiro. Cassel fala português quase sem sotaque e empresta seu lado gringo apaixonado pelo nosso país ao personagem Nicolas Terranova de uma forma muito honesta.


O universo criado em “O Filme da minha vida” é cheio de afeto e o longa é dedicado aos pais do diretor, certamente merecedores e responsáveis pela educação deste jovem artista com alma de menino. 


A estréia está prevista para o dia 3 de agosto.
Nota máxima.

 

Sugestão de filme : “O Carteiro e o Poeta, também baseado na obra do chileno Skármeta.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe noTwitter
Please reload

Posts Em Destaque

Vândalos Fazem Pichação em Patrimônio do Parque de Águas Claras

1/10
Please reload

Posts Recentes